RAP E IDENTIDADE: retratos de um Portugal plural ou excludente?

Conteúdo Principal do Artigo

Jessica Sérgio Ferreiro
Fernando Alberto Torres Moreira

Palavras Chave

RAP, Música, Racismo, Identidade, Cultura, Pós-colonialismo

Resumo

No presente artigo analisa-se a música rap como uma forma de expressão cultural que representa quotidianos e retratos de uma sociedade portuguesa plural. Aborda-se brevemente a emergência do hip hop em Portugal, o contexto e os motivos que lhe deram origem e que justificam a sua prática na atualidade. Procura-se identificar traços culturais e referências identitárias que distinguem e caracterizam o rap português, averiguando indícios que contrariam e problematizam noções que fomentam a crença numa cultura e identidade nacional portuguesa homogénea, concertada e estática. Para tal, recorre-se à bibliografia que aborde estes temas, assim como se analisam excertos de letras de algumas canções (conteúdo) e atende-se à imagética empregue em alguns videoclipes, relacionando-os com os contextos atuais e os quotidianos experienciados pelas minorias e grupo de pessoas “racializadas” em Portugal.

Resumo 8 | PDF Downloads 8
Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.