O Sertão imaginado na Ária “Cantiga” das Bachianas Brasileiras

Conteúdo Principal do Artigo

Ana Judite Oliveira Medeiros
Eduardo Lopes

Palavras Chave

Ária, Bachianas Brasileiras, Sertão

Resumo

O presente artigo traz uma perspectiva reflexiva sobre a visão ou interpretação dada ao sertão nordestino na Ária “Cantiga” da Série Bachianas Brasileiras de Heitor Villa Lobos. Considerando a problemática da “nordestinidade” e “regionalidade” que envolve o tema, a peça foi analisada a partir do conceito de tópicas (Agawu, 1982; Piedade, 2013), elementos entendidos como lugar-comum, de onde são produzidos silogismos retóricos e dialéticos. A partir desse conceito buscar-se-á compreender na obra pontos ou troposque possam revelar a “atmosfera” do Sertão, e consequentemente seu discurso musical. A questão que levantamos é como o sertão nordestino pode ser percebido na música de Villa Lobos? Para isso foram realizados dois procedimentos de análise, um das tópicas e o outro em atividade experimental descritiva, a fim de identificar aproximações ou distanciamentos do tema na peça. A contribuição que esperamos trazer com este texto é, que através das Bachianas Brasileiras, seja possível elaborar outras ou novas interpretações sobre a região considerando os nexos históricos e culturais construídos em torno dela.

Resumo 15 | PDF Downloads 25
Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.